segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

tá tudo bem? "tá sim, tudo bem"

[Avril Lavigne - Nobodys Fool]

mintchira

o começo do final de semana foi duro. às vezes bate um desespero, sabe?

me sinto sozinha aqui em casa às vezes. em São Carlos. as meninas estudam bastante e muitas vezes só fazem isso, e quando chega a quinta, exta-feira à noite, isso me entristece se não tenho companhia pra espairecer. mas não queria outra companhia, queria elas mesmo.

ele tinha ido sei lá pra onde, na verdade não lembro agora mesmo. ah, lembrei. minha conta bancária praticamente negativa, minha responsabilidade sobre os ombros com todo seu peso. não me permito gastar com almoço e janta, ainda mais num mesmo dia. posso cobrar isso dele? não né, mas é difícil porque ver uma pessoa bem próxima de você fazendo coisas que você gostaria de estar fazendo e não pode não é fácil.... a ana riu agora porque estou digitando muito rápido. é haha são os pensamentos....

na quinta sentei na varanda e chorei, chorei, chorei, chorei....liguei pra minha mãe porque precisava que ela me dissesse que eu não to sozinha. que ela se importa, e minha família toda, com meu bem- estar. e que se estivessem aqui, fariam algo comigo. não quis ligar pra ele porque sou sempre a vítima quando faço isso...sou a que está sempre triste, "porra você nunca tá feliz", e isso me mata! eu sou feliz, eu sou feliz em muitos momentos, exceto naqueles em que procuro alguém pra ser triste um pouco, entende?! e alguém virar pra você e dizer que você não é feliz ou que está sempre triste te faz sentir uma merda...porque você começa a pensar, será que é verdade? eu to sempre triste mesmo? e isso te deixa mais e mais triste, porque nem ser feliz você sabe. nem ser a mulher de um comercial de margarina você sabe....

minha mãe disse pra eu ir pra casa. eu disse que não podia. mãe, não tava tendo $ pra ir praí, e eu nem queria também...sabe é massa ir pra casa mas na verdade a volta só me conforta porque acaba comigo. fico tão pilhada com os problemas da minha família, que esqueço da minha solidão e ansiedade, alergias etc. mas na verdade elas estão ali, sabe?! esperando a hora em que volto pra casa, a hora em que de novo tenho que partir, tenho que falar tchau pra todo mundo e vir pra longe. fora que cansa. cansa viajar, cansa gastar toda essa grana pra ir até São Paulo pegar um trânsito do inferno.

me desculpa vou continuar aonde só ela lê. porque ela me entende, nunca vai me julgar. ela nunca vai me falar que eu sou triste, mesmo lá só tendo um monte de coisa zoada!

te amo pra caralho mel, obrigada por nunca me abandonar e por eu não precisar fingir pra você que tá tudo bem. obrigada por eu poder chorar pra caralho e ainda assim você dizer como meu sorriso é lindo e não como eu só choro.
você me faz continuar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Às vezes até um smile agrada a quem escreve.