quarta-feira, 13 de junho de 2018

Agradeço á maturidade, agradeço ao feminismo

Observe atentamente este trecho de um post meu no meu blog fechado.

"sábado, 5 de novembro de 2011

ontem foi estranho. puta, que estranho! aquele apavoro de estarmos só nós. eu enrolei ao máximo. quando a gente se encarou, eu tive que andar. nós fomos, mas ainda bem que o outro estava la então fomos os três. fiquei tranquila. adoro o outro, ele é um fofo! ok. ele desceu pra buscar a felicidade, e, ah! estávamos lá os dois sozinhos. eu fiquei rodeando a mesa fingindo estar muito interessada na próxima jogada, mas na verdade estava fugindo daquele monte de carne tentando me comer .-. não gosto que carnes me comam, eu como carnes! enfim, ele conseguiu me prender! porra como eu queria sair correndo dali! mas não teve jeito, tive que jogar a real. "sai fora". mimimi por que? por quê? porque sim, caralho! ARGH enfim eu fugi. ia escrever com j mas eu lembrei que é com g. é com g? enfim, fugi. fuji. é, fugi. mais tarde desci, precisava ligar pra ela e contar tudo, precisava dividir que eu nem via mais o chão. e muitas risadas! quantas! bati na porta do banheiro, vish, tava doidassa. fui subir a escada e quem estava me esperando? ARGH vontade momentânea de encher ele de porradas. mais ou menos isso. estava fedido. dava pra sentir bem de longe. ele chegou perto e eu fiz aquele gesto lindo de esconder rápido os lábios dentro da boca, sabe? HUUUUUUUUUUUUM e fiz nao com a cabeça. sai daqui sai daqui sai daqui é o que eu pensava. ou faça logo isso e acabe logo com a minha integridade seu sun of a bitch. e ele cheio de mimimis e eu só queria voltar para o jogo! só faltavam uns degraus!!!!!!!!!!! aí meu salvador apareceu e deixou a situação mega constrangedora. pro lado dele, né. porque eu tava na parede, presinha eheheh ufa obrigada por me salvar. enfim, várias indiretas e eu antipática extrema como sempre. eu bebo mas eu n perco a linha, tá?"

É o meu relato com 17 anos de idade sobre um assédio que sofri de um colega de trabalho. Com 17 anos eu vivi hoje. Alguém que me conhece imagina de alguma forma eu vivendo isso de novo?! Claro que não. Hoje esse cara ia tomar um murro e uma joelhada no saco rs

Em 2011 fui lúdica, mas serei mais clara agora. Estávamos no trabalho, e era sexta-feira, dia amado, dia de jogar sinuca com o pessoal do trampo. Eu enrolei pra ir porque naquela hora só eu e aquele cara podíamos ir. E ele sempre dava em cima de mim, ele era mais velho, não sei quanto, tipo uns 23 na época talvez. Daí uma hora um outro colega disse que também iria, então aí tudo bem, fomos os três. No bar, no andar de cima só tinha a gente, nós 3. Eu fiquei bêbada, e desci pra ir ao banheiro, lá dentro fechei a cabine e liguei pra mari, contei que eu tava muito doida e que tava me divertindo muito. Daí fui subir a escada de novo pro bar, e quem tava na escada me esperando? É, o cara tava lá. Me prendeu na parede da escada, tentou me beijar de todo jeito. Ele cheirava mal... Eu esquivei, esquivei, mas chegou naquele ponto que você pensa em ceder só pra poder sair dali, sabe? A menina que nunca passou por isso é uma sortuda. Mas aí um outro colega de trabalho apareceu, e aquele cara me soltou na mesma hora, e agimos como se nada tivesse acontecido. Eu terminei de jogar a partida, ganhei do meu chefe e vazei. Chegando na casa do meu namorado ele brigou comigo porque eu demorei muito. Enfim nem tive chance de contar o que aconteceu e também não quis, guardei pra mim, contei pras minhas amigas que tinham 15 e 13 anos na época. Não sabíamos que isso era grave...

Hoje com o feminismo as meninas de 17 anos sabem que se um cara te prende numa escada e tenta te beijar à força, isso é assédio, e você tem que contar. Tem que contar pro chefe que você ia trampar de vestido e o cara passava a mão na sua coxa quando vocês iam almoçar. Quando eu tinha 17 anos a gente só achava isso esquisito, mas pensávamos que "ah ele só ta dando em cima de mim rs".

Eu ia dizer que "nossa se hoje em dia alguém faz isso comigo eu..." mas parei, apaguei o que tinha escrito porque é mentira. Me senti assediada semana passada. E sabe o que eu fiz? Nada. É impressionante, a mulher fica impotente mano, eu não fiz absolutamente nada. Eu dormi no rolê, e acordei com um cara tentando me beijar. Tipo, insistentemente dando em cima de mim, e mano, não sei se você viu rapaz, mas eu estava DORMINDO = INCONSCIENTE = INCAPAZ DE CONSENTIR. Eu dei vários chega pra lá, não quero, não quero, só quero dormir - insistiu. Virei pro lado e continuei dormindo. A encheção de saco durou mais tempo. Quando acordei de fato, só me lembro que minha vontade era falar bem em alto e bom som - AMIGO PÁRA DE ME ASSEDIAR. e eu não falei nada..... mas eu vou falar. sério, vou falar.