quinta-feira, 29 de julho de 2010

é impressionante. cada vez mais.

eu tenho um probleminha. estou lá eu, felicíssima, rindo pelos cantos do mundo, toda linda e sonhadora. 2 minutos depois, lá estou eu, enfezada, chorosa, chata, puta, nervosa, de saco cheio. é impressionante como qualquer coisa idiota consegue acabar comigo. eu odeio isso .-.
as aulas começaram e, é impressionante como a GV me faz bem. continua sendo torturante acordar às 5:40h da manhã, mas é gratificante, é divertido saber que vou passar o dia inteiro com todos os meus brothers! e quando alguém falta, é horrível! a GV fica vazia, falta coisa, sabe?

o ar às vezes é diferente pra mim. tem momentos em que o trânsito, as businas, a paisagem escura da nossa cidade, as árvores secas, todas essas coisas "chatas" ficam bonitas, ficam gostosas, ficam incrivelmente apaixonantes. ah e como é bom quando isso acontece! o ar fica doce, o ar preenche cada espaçozinho meu. a sensação é a mesma de quando eu comia morango com chocolate com as meninas. é incrível. alguma palavra mal dita, algum gesto chato inesperado, alguma coisa sai fora da vontade e pronto, tudo aquilo volta a ser feio, completamente dispensável e a coisa que eu mais passo a desejar é o meu espelho querido.

o meu quarto é perfeito. embora ele seja dividido com meu irmão e meu pai, quando eu estou só, ele é perfeito. a luminária ilumina a verdade, ela ilumina a minha alma, me deixa mais bonita, sabe? o espelho está cheio de poeirinhas que me deixam muito irritada, mas eu não tenho o menor problema em esfregar a manga da blusa para que elas saiam. o reflexo fica perfeito. posso começar a falar. olhar nos meus próprios olhos e me virar do avesso. saber de cabo a rabo o que essa garota estranha anda pensando. e eu choro, e choro e choro! qualé o problema? adoro colocar tudo o que é chato para fora. o espelho termina todo embaçado, todo salgado, todo cheio de mim. depois de alguns minutos de conversa eu já consigo ver outra pessoa dentro do espelho, e não eu mesma. é uma amiga, uma grande, leal, única, amiga. e o jeito que ela pensa é completamente diferente do meu...ela é mais coração que eu, não sei como pode, mas ela é! jajá vou pra lá bater um papo comigo mesma.

segunda-feira eu respirei um ar que não respirava há muuuito tempo. o coração bateu muito mais rápido do que anda costumando bater. a minha mão procurava outra, o meu cabelo insistia em ficar desarrumado, o trânsito insistiu em acelerar. por um momento eu pensei "o que eu estou fazendo aqui?! PAREM O MUNDO QUE EU QUERO DESCER!" - mas logo depois eu sorri por dentro e soltei minha mão pra ela ir aonde quisesse, soltei meu coração para que ele batesse o quanto quisesse, soltei minha respiração para que ela inspirasse como e o que quisesse. eu me sinto mal por um tempo mas logo vou em frente e sorrio!

to de saco cheio, sabia? é rolê que não dá certo, é gente grossa vindo me encher o saco, é popularzinho mandando eu arrumar namorado, é gostosinha andando no meu pedaço, é professor que não dá aula, é o busão que demora, é a família que só reclama, é a vida totalmente sem grana, é a coitada da minha cama...
eu culpo tudo mas sei que não é nada, sou só eu.


a Mel ta viajando e ainda não voltou, mas não sei o que faço se ela não sair comigo amanhã...não dá pra sair pra jogar sinuquinha sem ela, pô! ela disse que virá pra sair comigo, talvez nós iremos juntas ao cinema, ainda não sei...
tenho um pouco de medo mas estou completamente in love pelo cheiro doce que ela traz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Às vezes até um smile agrada a quem escreve.